Fale Conosco Sindicalize Editais Balancetes Formulários Movimento Sindical e Social Quem Somos



Principal Convênios Acordos e Convenções
Convênios Acordos e Convenções Fale Conosco Sindicalize Formulários Arcordos e Convenções Editais Movimento Sindical e Social Balancetes e Despesas Quem Somos
 

Notícias


JARAGUÁ DO SUL - SC, 04 DE DEZEMBRO DE 2019.

 INFORMATIVO BANCÁRIO Nº (10546)12-19

EQUIPE DE PAULO GUEDES DISCUTE PRIVATIZAÇÃO DO BANCO DO BRASIL, DIZ JORNAL.

De acordo com o Globo, o primeiro passo para essa medida seria Guedes convencer o Presidente Jair Bolsonaro a aceitar vender o Banco Público.

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, e sua equipe se preparam para iniciar um processo que pode levar à Privatização do Banco do Brasil (BB), segundo fontes ouvidas pelo jornal O Globo. O primeiro passo para essa medida seria Guedes convencer o Presidente Jair Bolsonaro a aceitar vender o Banco Público.

De acordo com o jornal, a Privatização do Banco do Brasil, porém, não seria feita no curto prazo, podendo ocorrer até o fim do mandato, em 2022. Em entrevista ao Globo, publicada no domingo (1º), Guedes disse que uma privatização particularmente poderia render R$ 250 bilhões, sem especificar a qual estatal se referia.

Duas empresas públicas, com ações negociadas na bolsa, teriam potencial para superar as centenas de bilhões: BB e Petrobras.

O Presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, seria um dos grandes defensores da medida dentro do governo. Segundo o jornal, ele já chegou a afirmar que a Privatização do Banco do Brasil seria inevitável. Em nota, o Ministério da Economia informou que o Governo Bolsonaro “não pretende Privatizar Banco do Brasil, Caixa e Petrobras”. O Banco não comentou.

Na avaliação de Carlos Daltozo, chefe de ações da Eleven Financial Research, não faz sentido o Brasil ter dois Bancos Públicos do tamanho da Caixa e do BB.

“Vejo duas possibilidades: a venda para uma instituição estrangeira, que é o que deseja o governo, mas é mais complicado, ou a mudança de algumas leis, a venda de poucas ações e a mudança para uma corporation. Assim, o Banco se livra das amarras estatais, ganha agilidade e o governo pode vender aos poucos, maximizando o retorno”, escreveu Daltozo no Twitter.

Segundo o chefe da Eleven, em ambos os casos, é necessário dar uma destinação para o crédito rural e todos os programas de governo no qual o BB atua, que, na sua opinião, deveriam migrar para a Caixa. Já a Caixa, deveria vender todas as suas subsidiárias e permanecer um Banco voltado a políticas públicas.

 

FONTE: O GLOBO.

 

O SEEB JGS E REGIÃO SC, POSSUI ATENDIMENTO JURÍDICO AOS BANCÁRIOS E SEUS DEPENDENTES. 

61 Visualizações

Galeria de Fotos

Vídeos